Categoria: TEXTOS

  • Baratos Afins: pioneira dos independentes há 45 anos

    Em maio de 1978, Luiz Calanca abriu as portas de sua loja de discos na Galeria do Rock pela primeira vez. Ele ainda era um farmacêutico fissurado por música que resolvera colocar seus vinis à venda. Não fazia a menor ideia da importância que teria, especialmente para a cena de viés underground do Brasil. Mas…

    Continue reading

  • Minha maneira de viver é um suicídio anual

    Em 2008, eu estava no Theatro Municipal de São Paulo para o lançamento de Mutantes Depois, primeira música inédita dos Mutantes em décadas. Não fui cobrir. Estava lá como convidado, porque havia escrito o release desse single. Foi uma noite e tanto, com um pocket show muito bem caprichado. Antes de a banda se apresentar houve…

    Continue reading

  • Quando o rock brasileiro perdeu o cabaço de vez

    O debute do Camisa de Vênus é um álbum punk, em todos os sentidos. Tudo ali é punk: a pegada, a atitude nas faixas, as letras, a produção. A qualidade sonora também é punk, em sua tosquice. E o mais interessante é que essa tosquice punk virou sua força inquebrável naquele momento, mesmo eles não…

    Continue reading

  • Chico Buarque e a tal capa do meme

    Reprodução Data precisa, difícil apontar. Acredita-se que tenha sido por volta de 2013 que a capa do disco de estreia de Chico Buarque se transformou em uma das fontes de meme mais conhecidas (e usadas até hoje). A imagem do Chico feliz/Chico sério, aliás, já chegou a ser aproveitada pelo próprio cantor e compositor carioca,…

    Continue reading

  • Kiss: o disco que salvou a banda da crise de identidade

    Divulgação Creatures of the Night foi um renascimento necessário para o Kiss. Depois de três anos derrapando, a banda precisava se reafirmar artística e comercialmente. E não adiantava ser um disco qualquer. Àquela altura, precisava ser algo mais do que bom. O ano de 1982 foi chave. Pouco após a tentativa tortuosa com as inéditas incluídas…

    Continue reading

  • A capa mais odiada pelo Black Sabbath?

    A capa de Born Again é icônica o suficiente para representar o espírito de ame ou odeie que muito permeia esse disco. Lançado em 1983, o registro trouxe a inédita, e nunca mais repetida, versão da banda com Ian Gillan nos vocais. Não por acaso, houve quem os chamasse de Black Purple, uma alusão à fusão Black…

    Continue reading

  • Kiss: por que Paul Stanley detesta a essa capa?

    A virada dos anos 1970 para os 1980 foi um tanto confusa, artisticamente falando, para o Kiss. A banda soava perdida a cada lançamento. Em 1980, saiu Unmasked, com um repertório bom, porém, sem o mesmo vigor rocker de antes. Paul Stanley cultiva certas frustrações em relação a esse trabalho, o oitavo de estúdio do quarteto…

    Continue reading

  • Fla Mingo: “Foi pela arte que consegui me libertar”

    Natália Guissoni/Divulgação Esse álbum é espetacular, em todos os sentidos. Tem um repertório criativo, inspirado, que envolve. São sete faixas que passeiam por sonoridades variadas do rock. Esquina é visual, performático, exatamente como a persona dessa figuraça chamada Fla Mingo. Cantor e compositor paraibano, Fla Mingo é um genuíno artista. Com as cores e a garra de…

    Continue reading

  • Uma Banda Chamada Z – O Babaca

    Foto: Grace Lagôa Quando sabemos que o vinho presta, sacamos a rolha com a certeza de que beberemos bem. No caso da tal Uma Banda Chamada Z (o nome é ótimo), em vez de etílica, a convicção é sonora. E vamos falar sério, né? Uma banda com estes caras daqui – Renato Panda, Xando Zupo, Ricardo…

    Continue reading

  • Sepultura: o pré-caos de música, letra e visual

    Reprodução Schizophrenia, de 1987, é o segundo disco de estúdio do Sepultura, último pela Cogumelo Records. Também marcou a entrada do guitarrista Andreas Kisser e, assim, o nascimento da formação que se consagraria mundo afora, com Max Cavalera (vocal, guitarra), Paulo Xisto Jr. (baixo) e Igor Cavalera (bateria). O quarteto andava com moral alta em…

    Continue reading

  • Raul Seixas e Marcelo Nova: a capa que nunca saiu

    Reprodução O que você faria se tivesse a oportunidade de encontrar deus, o seu deus? O fotógrafo Dimitri Lee teve essa chance em 1989. Foi um misto de encantamento e choque embalado pela missão de clicar a capa de A Panela do Diabo – registro que eternizou a parceria entre Raul Seixas e Marcelo Nova. Dimitri era…

    Continue reading

  • Camisa de Vênus: correndo o risco com toda a pompa

    Reprodução O ano de 1986 cravou o auge do Camisa de Vênus clássico. Se em julho saiu Viva, um dos melhores álbuns ao vivo do rock nacional, em novembro veio Correndo o Risco. Os trabalhos marcam a troca de gravadoras, da RGE para a gigante Warner Music, e o acesso a uma estrutura de ponta (estúdio, orçamento).…

    Continue reading